Cruzeiro vence clássico, sobe na classificação e empurra o América para a zona da degola

Por Aécio Gonçalves 05/11/2018 - 12:59 hs

A promessa de encarar a reta final do Campeonato Brasileiro com seriedade está sendo cumprida pelo Cruzeiro. Na tarde deste domingo, no Independência, o time celeste venceu o clássico contra o América, por 2 a 1, chegou a 46 pontos na classificação e empurrou o Coelho para a temida zona de rebaixamento.

Apesar de ter sido visitante, o Cruzeiro foi o senhor do jogo, mantendo o domínio da partida na maior parte do confronto. O América parou na sua deficiência ofensiva e na qualidade do rival. Acordou somente depois que sofreu o segundo gol, muito pela atuação de Matheusinho, que entrou no intervalo. O Coelho ainda reclama de um pênalti não marcado pelo árbitro Heber Roberto Lopes.  Arrascaeta, carrasco dos clássicos em Minas, Thiago Neves (Cruzeiro) e Rafael Moura (América) fizeram os gols da partida, válida pela 32ª rodada do Brasileirão. 

O resultado do clássico coloca ainda mais pressão no América para os últimos seis jogos do Brasileirão. Com apenas 34 pontos, o Coelho entrou na zona de rebaixamento e precisa se recuperar na reta final. O Paraná, já rebaixado, será o adversário do Coelho na próxima rodada, no Horto. Já o Cruzeiro, que está em oitavo lugar com os mesmos 46 pontos do rival Atlético, visitará o Atlético-PR. Os dois confontos serão no próximo sábado (10).  

O jogo

O Cruzeiro deu um baile no América na maior parte dos primeiros 45 minutos. Dominou o meio-campo, criou várias chances de gol e parecia ser o mandante do clássico. Acoado, o Coelho não conseguia parar os homens de frente da Raposa e praticamente não atacava. Só acordou nos minutos finais, quando já estava perdendo.

O primeiro gol era para ter saído logo aos sete minutos, mas Barcos desperdiçou chance incrível após escanteio cobrado por Arrascaeta que Henrique desviou. A bola sobrou livre para o argentino, que cabeceou para fora. 

Melhor postado, o Cruzeiro trocava passes com facilidade e encontrava espaços na defesa do América. Foi assim que a Raposa abriu o placar aos 17 minutos. Arrascaeta recebeu a bola na entrada da área, passou como quis por Matheus Ferraz e chutou no ângulo de João Ricardo. Golaço, com assinatura do uruguaio carrasco em clássicos no futebol mineiro. Ouça narração!

O gol mudou um pouco o panorama da partida, já que o Cruzeiro recuou e deu espaço para o rival atacar. Aos 29, Fábio evitou o gol de empate ao defender uma cabeceada do lateral-esquerdo Giovanni.  A resposta celeste veio com Thiago Neves, aos 38. O meia recebeu passe de Barcos dentro da área, passou por Matheus Ferraz e chutou forte. João Ricardo salvou. 

Nos minutos finais da primeira etapa o América ainda buscou o empate, mas esbarrou na defesa celeste e nas suas limitações ofensivas. 

Etapa final 

Na volta para o segundo tempo, o técnico Adilson Batista sacou os dois laterais, Aderlan e Carlinhos, para colocar o meia atacante Matheusinho e o atacante Robinho. Se a ideia do comandante alviverde era partir para o tudo o nada, foi justamente no espaço deixado na lateral esquerda que nasceu o segundo gol do Cruzeiro. 

Logo aos 3 minutos, o volante celeste Henrique disparou com rara liberdade e, ao entrar na área e dar um corte na marcação, foi derrubado pelo zagueiro Messias. O juiz não hesitou em marcar o pênalti. Para o autor da cobrança, Thiago Neves, não faltou confiança: de cavadinha, deslocou o goleiro João Ricardo e ampliou o placar para 2 a 0, aos 5 minutos. Ouça a narração!

O Cruzeiro dominava o confronto e tocava bola, em ritmo de treino. Por volta dos 15 minutos, a insatisfação do torcedor do América com o futebol apresentado pela equipe era clara. Adilson Batista ouviu vaias e decidiu, então, colocar o centroavante Rafael Moura.

Se o lado defensivo americano ficou mais exposto no segundo tempo após as mexidas de Adilson Batista, o ataque ganhou em criatividade com Matheusinho, que, após tentar jogada dentro da área cruzeirense, viu a bola bater na mão de Egídio. O juiz assinalou o segundo pênalti da partida, desta vez, para o América. He Man foi o escolhido para cobrança e não decepcionou o torcedor americano. Mandou uma pancada, no meio da meta, e marcou o seu sexto gol no Campeonato Brasileiro. Ouça aqui!

Após o gol, o América cresceu na partida e iniciou uma pressão em busca do empate. O Cruzeiro se postou bem defensivamente e vez ou outra ameaçava a equipe americana nos contragolpes. 

Aos 35 minutos, Matheusinho reclamou pênalti de Dedé, após cair na área celeste. Ele recebeu passe de Rafael Moura, ganhou na velocidade, ficou cara a cara com o goleiro Fábio quando foi derrubado. O juiz, no entanto, mandou o lance seguir. 

Depois disso, o jogo esfriou. O América esbarrava no grande poder defensivo da equipe de Mano Menezes e também na própria falta de qualidade técnica. Em lances isolados, tentou desesperadamente o gol, mas nada de efetivo foi criado. Melhor para o Cruzeiro, que provou mais uma vez ter qualidade para conduzir uma partida nervosa.

Ficha técnica 

América x Cruzeiro 

América: João Ricardo; Norberto (Rafael Moura), Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos (Robinho); Juninho e Zé Ricardo; Aderlan (Matheusinho), Ruy, Giovanni e Luan. Técnico: Adilson Batista.

Cruzeiro:Fábio; Edilson, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral; Robinho (Lucas Silva), Thiago Neves (Mancuello) e Arrascaeta; Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes

Gols: Arrascaeta (17'1ºT), Thiago Neves (aos 3'2ºT) e Rafael Moura (25'2ºT)

Cartões amarelos: Zé Ricardo, Juninho, Luan (América); Egídio (Cruzeiro)

Público: 9.423

Renda: R$98.805,00

Motivo: 32ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data e horário: 04 de novembro de 2018 (domingo), às 17h

Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)

Assistentes: Bruno Boschilia (FIFA/PR) e Henrique Neu Ribeiro (SC)

Fonte e foto: Itatiaia Link da reportagem: http://www.itatiaia.com.br/noticia/cruzeiro-vence-o-classico-sobe-na-classificac